Avós: carinho, cuidado e sabedoria

Avos top

A relação entre avós e netos é um vínculo único e especial que enriquece ambas as gerações. Os avós proporcionam muito mais coisas do que se pode esperar. Aproveitando a proximidade com a data de 26 de julho, quando foi celebrado o Dia Mundial dos Avós, o clube aborda o papel atual dos avós dentro da família e da sociedade que, nos últimos anos, passou a ser mais intensa e fundamental.

O vínculo familiar entre avós e netos pode trazer muitos benefícios a todos os envolvidos, pois possibilita aos pais a divisão da tarefa de cuidar, além se sentirem mais seguros quando as crianças estão sob o olhar dos avós. Com os avós, as crianças são expostas a um contexto familiar maior, laços afetivos fortes e com sabedoria e experiência socialmente reconhecidas. Tudo isso contribui positivamente para o desenvolvimento das crianças.

Cuidando e ajudando

Para começar a falar sobre tudo de bom que a relação pode trazer, o auxílio aos pais na criação e educação das crianças é um ponto fundamental. Tanto para os filhos como para os netos, os avós são um importante ponto de apoio e contenção. Especialmente para pais de primeira viagem que, muito comumente podem se sentir assustados ou sobrecarregados, o apoio e os conselhos dos mais experientes podem tranquilizar e direcionar os ânimos.

A relação da associada Cláudia Wagner de Lima Dias com sua neta Maria Antônia, de 7 anos de idade, exemplifica muito bem esse cenário, já que ela sempre traz sua neta ao clube para fazer natação e patinação. “Primeiro que é uma delícia e fazemos tudo com muito amor. Segundo que conseguimos aproveitar para ajudar os pais que trabalham bastante e têm uma rotina mais atarefada”, destaca.

Avos Claudia 2
Avos Adriana

Esse também é o caso de Adriana Souza Leite Guimarães Vignoli e sua neta Letícia Guimarães Vignoli de Sanctis, de 7 anos. “Tudo que posso fazer por minha filha e minha neta eu faço. As vezes levo a Letícia à escola, às aulas de natação no clube e nas festinhas. Claro que não fico por lá, né?”, brinca a associada.

Quem também se encaixa no papel de “avô coruja” é Luiz Carlos Lazarini. Hoje, seu neto está em outra fase da vida, já com 17 anos de idade. Mas desde o começo da vida, o vovô Lazarini participa intensamente da vida de Pietro Lazarini, que, desde sempre esteve ao lado de seu avô. O fato de morarem muito próximos contribuiu para essa relação ser ainda mais forte.

“Sempre tivemos essa proximidade e os pais dele sempre puderam contar comigo no que precisassem. Desde pequeno, Pietro vinha comigo para acompanhar o futebol nas manhãs de finais de semana do clube. Sou da turma da “madrugada”, então ele acordava cedo para assistir seu avô jogar. E o mais importante é que consegui fazer com que ele se tornasse corintiano”, comemora Lazarini. 

Voz da experiência e suporte emocional

Além da ajuda nos cuidados e na educação das crianças, os avós são uma fonte de conhecimento e experiência. Graças à idade e a todas as vivências que tiveram, eles são capazes de contribuir com uma perspectiva diferente e mais ampla. Em situações de crise, raiva ou confusão, o ponto de vista dos avós pode ajudar a relativizar e abrir os olhos a decisões mais adequadas.

Conversamos sobre tudo. Falamos sobre música, educação, o que ela aprende na escola, como lidar com os amigos e muitos outros assuntos. As vezes meu marido até me pergunta se estou com 7 anos de idade, de tanto que converso com ela e me envolvo nos assuntos”, conta Cláudia.

Para ela, os avós têm a oportunidade de passar os valores de família, bem como orientar os netos em assuntos em diversas situações. “Faz parte de nosso papel orientá-los sobre como lidar com as adversidades e frustrações que são naturais em cada fase da vida. Como temos bastante experiência, pois já vivenciamos o papel de filhos e de pais, acaba sendo mais fácil visualizar e orientar sobre como melhor agir em determinada situação”, completa.

Lazarini também conta que sua experiência como pai ajuda muito no seu papel de avô. Para ele, ser avô é poder cuidar e educar sem a carga de pressão e responsabilidade que os pais carregam. “Sabemos que os pais carregam uma barra pesada que é a responsabilidade de criar e educar a criança. Como avós, nos temos a oportunidade de participar e ajudar nessa missão de uma maneira mais leve, utilizando tudo o que vivemos anteriormente”, ressalta.

Avos Lazarini

Na mesma linha, Adriana fica feliz e satisfeita em poder contribuir de muitas maneiras para o crescimento de sua neta. Há uma frase, inclusive que ela acredita retratar muito bem o papel dos avós na vida dos netos. “Há um ditado que diz que ser avó é deixar o amor fluir sem pressa, sem cobranças e sem medo. Fazendo isso, é possível ver tudo o que podemos fazer de bom para nossos netos. Minha neta pode contar comigo para tudo. A única coisa que não sei fazer é cozinhar, mas tento mostrar meu amor por ela de outras maneiras”, goza de si mesma.

Benefícios para toda a vida

De acordo com o estudo “Nonresidential Grandparents Emotional and Financial Involvement in Relation to Early Adolescent Grandchild Outcomes”, de Jeremy B. Yorgason, Laura Padilla-Walker e Jami Jackson, os netos que têm laços emocionais próximos com os seus avós criam possibilidades de ampliar benefícios para toda a vida, como o desenvolvimento de um comportamento mais bondoso e generosos, além da redução de taxas de ansiedade e possíveis quadros de depressão no futuro.

Muitos estudos realizados comprovam que este envolvimento entre netos e avós, melhoram o desempenho escolar das crianças, o desenvolvimento cognitivo, a autoestima, possibilitam habilidades socioemocionais e ativam habilidades sociais de fazer e manter amigos.

Realização e benefícios para os avós

E essa relação é benéfica também para os avós. Estudos publicados na Grandparents.com em parceria com a Metlife e o Relatório do Pew Research Center, apresentam que os avós que vivem separados de sua família, tem taxa de mortalidade 26% maior de morte durante o período em que se encontram afastados da família, ainda há o fato de que cuidar dos netos traz uma sensação de significado, identidade e pertencimento. De acordo com esse estudo, 72% acham que “ser avô é a coisa mais importante e satisfatória na sua vida”. Por isso, não há dúvidas que ambos têm benefícios nessa relação.

“Os netos têm o poder de renovar os avós, pois eles acabam transmitindo tudo de novo que acontece no mundo deles, principalmente pela dinâmica e pela velocidade da vivência das crianças nos dias de hoje. Nós vamos aprendendo com eles sobre diversos assuntos. É uma troca completa. Posso dizer que os netos completam os avós e vice-versa”, ressalta Cláudia.

Para Adriana, os netos tornam a figura do avô imortal. “Quando estamos com nossos netos, há uma sensação de renascimento, de imortalidade. Nós esquecemos de tudo para ficar conversando e brincando com eles. E quem não gosta de um colo e de um carinho de uma avó ou avô? É uma bênção para os dois”, celebra a avó de Letícia.

Por fim, ser avô para Lazarini é mais do que tudo uma realização. “Sou muito suspeito para falar do que penso do Pietro por todas as razões. Mas é uma satisfação muito grande ver a pessoa que ele se tornou e tudo o que tem conquistado. Sentir que, de alguma maneira, eu pude contribuir com seu crescimento. É uma das melhores sensações do mundo”, revela.

O arquivo digital do estudo “Nonresidential Grandparents Emotional and Financial Involvement in Relation to Early Adolescent Grandchild Outcomes” destacou 7 fatores importantes que os avós contribuem com netos:

– Ensinam os netos a entender e interpretar a história da família

– Promovem habilidades práticas e de conhecimento da vida

– Proporcionam conforto, encorajamento e conselhos

– Cooperam com a formação da identidade da criança

– Organizam, facilitam e participam de atividades de lazer

– Se esforçam para encorajar fortes relações familiares e comportamentos apropriados entre os membros da família

– Ajudam os netos a tornarem-se financeiramente independentes na idade adulta

O Dia Internacional dos Avós

Mas voltando ao começo desse assunto: por que o Dia dos Avós é comemorado em 26 de julho? A data tem origem religiosa e foi escolhida pelo papa Paulo VI, no século XX, para homenagear os pais de Maria, mãe de Jesus, chamados Ana e Joaquim. Santa Ao longo dos séculos, eles receberam comemorações festivas em diversas datas diferentes, mas Paulo VI houve por bem determinar o dia 26 como a data definitiva.

O Paineiras agradece e homenageia todas essas pessoas que, com amor e carinho, cuidam e ajudam a criar e formar pessoas melhores.

Artigos relacionados