Judô – Entenda Tudo Sobre a Modalidade

Gincana de Judô Kids5

Judô, saiba mais sobre o esporte que conquistou gerações

Fundado em 1960, o clube Paineiras do Morumby possui um dos mais respeitados departamentos de Judô do Brasil, com mais de meio século de história e tradição no oferecimento do ensino e da prática da modalidade de excelente qualidade aos seus associados.

índice

À frente da modalidade, o Judô do Clube Paineiras já contou com nomes lendários, como o saudoso sensei Ikuo Onodera, e outros não menos brilhantes, como Mauro Junqueira, Robertinho Machusso e, mais recentemente, Alexandre Lee e Carlos Onorato,responsáveis pela conquista de diversos campeonatos e, inclusive, na convocação de atletas para as Olimpíadas, como Eduardo Katsuhiro Barbosa e Rafael Buzacarini em Tóquio.

De onde veio o Judô e qual a origem?

O Judô é uma arte marcial derivada do estilo Ju-jitsu, que teve como inspiração o estilo Takenouchi-ryu, fundado em 1532. Ele ensina não só a atacar como a se defender utilizando nada mais que seu próprio corpo. Se pudéssemos destacar um nome fundamental no desenvolvimento da modalidade em seus primórdios, esse é o mestre Jigoro Kano, que se dedicou durante anos estudando sobre as antigas formas de autodefesa.
Ele reuniu diversas explicações científicas e lógicas aos golpes, baseando-se em leis da dinâmica, ação e reação, selecionando e classificando as melhores técnicas dos vários sistemas do Ju-jitsu, criando um novo estilo que batizou de Judô, ou “caminho suave”.
O mestre Kano não foi um visionário apenas no desenvolvimento de um novo estilo de artes marciais, mas também na instituição de uma linha filosófica baseada no conceito ippon-shobu (luta pelo ponto perfeito) e um código moral. Ele criou o Instituto Kodokan em 1882, o termo significa Ko (palestra, estudo, método), Do (caminho) e Kan (instituto). Ou seja, “um lugar para estudar o caminho”, o que explica a intenção dele de fortalecer não só o físico, como a mente e o espírito de forma integrada. Essa tríade do desenvolvimento que tanto busca a modalidade no crescimento do judoca como pessoa, pode ser visto nos oito princípios básicos do Judô, desenvolvidos pelo mestre Jigoro Kano:
  1. 1 – Cortesia: para ser educado no trato com os outros;
  2. 2 – Coragem: para enfrentar as dificuldades com bravura;
  3. 3 – Honestidade: para ser verdadeiro em seus pensamentos e ações;
  4. 4 – Honra: para fazer o que é certo e se manter de acordo com seus princípios;
  5. 5 – Modéstia: para não agir e pensar de maneira egoísta;
  6. 6 – Respeito: para conviver harmoniosamente com os outros;
  7. 7 – Autocontrole: para estar no comando das suas emoções;
  8. 8 – Amizade: para ser um bom companheiro e amigo.

O Judô no Brasil

A imigração japonesa e a influência dos lutadores profissionais representantes de diversas escolas do Jiu-jutsu japonês contribuíram de forma significativa para o crescimento do esporte no Brasil.

Um dos primeiros registros sobre a modalidade datam de 1922, através das apresentações de Thayan Lauzin, o Conde Coma (Mitsuyo Maeda), como também era conhecido. Ele é um dos primeiros alunos do mestre Jigoro Kano e, junto com alguns parceiros, passou por estados como Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo difundindo a modalidade, posteriormente se transferindo para o Pará.
Outros nomes também foram importantes para difundir o esporte como Tatsuo Okoshi, Katsutoshi Naito, Tokuzo Terazaki, Yassuishi Ono, Sobei Tani, Ryuzo Ogawa, Takaji Saigo, Geo Omor e outros.
O fato é que o Judô como conhecemos só começou a se difundir de verdade após a segunda guerra mundial, principalmente pela chegada de novos imigrantes japoneses ao país. Antes disso, o estilo se confundia, muitas vezes chamado de jiu-do, jujutsu, jiu-jitsu ou jiu-jitsu Kano para designar a mesma prática.
Quando os atletas se machucam, especialmente nas extremidades inferiores, eles frequentemente são orientados a nadar para manter seu nível de condicionamento físico. A natação ajuda a manter a forma e faz até parte da reabilitação. Isso porque a resistência da água faz com que os músculos trabalhem muito sem a tensão ou o impacto que é sentido no solo.
A natação queima muitas calorias, algo em torno de 500-650 por hora, dependendo da eficiência com que você nada. E de quão flutuante você é (quanto mais gordura corporal você tem, mais você flutua e menos calorias necessárias para nadar).
Judô - turma de judô infantil. Imagem de um professor em pé com kimono azul dando aula para crianças sobre o tatame
Judô para Crianças no Paineiras

Os benefícios do Judô no desenvolvimento de crianças e adolescentes

O Judô pode ser iniciado por crianças entre 3 e 4 anos, de forma lúdica, para ajudar a desenvolver os movimentos de coordenação motora e também a disciplina, como também para pessoas de diversas faixas etárias, por se tratar de um esporte que não se limita a homens com vigor físico, como também para mulheres e idosos, de qualquer altura e peso.

Os benefícios do Judô são claros, tanto física como moralmente.

Benefícios físicos

  • Força;
  • Velocidade;
  • Resistência;
  • Equilíbrio;
  • Agilidade;
  • Flexibilidade;
  • Pensamento rápido;
  • Coordenação motora;
  • Desenvolvimento da inteligência;
  • Expressão e domínio corporal;
  • Situação espacial;

Benefícios mentais e morais

  • – Disciplina;
  • – Cortesia;
  • – Paciência;
  • – Autocontrole;
  • – Sociabilidade;
  • – Respeito ao próximo;
  • – Saber perder;
  • – Senso de responsabilidade.

O que se aprende no Judô? Como são as aulas?

Todos os praticantes de Judô, independentemente da idade, iniciam na faixa branca e vão conquistando as outras cores no seu determinado tempo de aprendizagem. Cada aluno, de forma individual, vai adquirindo conhecimentos para conquistar uma nova graduação, subindo um degrau de cada vez na sua trajetória.

A ordem das faixas se divide em:

  • Zero Kyu (Mukyu) – Faixa Branca.
  • 7º Kyu (Nanakyu ou Shichikyu) – Faixa Cinza (somente para crianças).
  • 6º Kyu (Rokkyu) – Faixa Azul.
  • 5º Kyu (Gokyu) – Faixa Amarela.
  • 4º Kyu (Yonkyu ou Shikyu) – Faixa Laranja.
  • 3º Kyu (Sankyu) – Faixa Verde.
  • 2º Kyu (Nikyu) – Faixa Roxa.
  • 1º Kyu (Ikkyu) – Faixa Marrom.

Após a faixa marrom, o judoca se torna um graduado, ou um Yodansha, conquistando a faixa preta e o primeiro grau. Após a faixa preta, quando se torna um Shodan (portador do primeiro grau), ele pode continuar se graduando em Dans:

  • 1º Dan (Sho-Dan ou Ichi-Dan) – Faixa Preta.
  • 2º Dan (Ni-dan) – Faixa Preta.
  • 3º Dan (San-dan) – Faixa Preta.
  • 4º Dan (Yo-dan) – Faixa Preta.
  • 5º Dan (Go-dan) – Faixa Preta.
  • 6º Dan (Roku-dan) – Faixa Coral (vermelha e branca).
  • 7º Dan (Nana-dan) – Faixa Coral (vermelha e branca).
  • 8º Dan (Hachi-dan) – Faixa Coral (vermelha e branca).
  • 9º Dan (Kyu-dan) – Faixa Vermelha.
  • 10º Da (Ju-dan) – Faixa vermelha.
Nas primeiras aulas, o judoca aprende as quedas no esporte, um item muito importante para evitar qualquer tipo de lesão. São quedas de costas, lado, frente, rolamentos para a frente e de costas.
A ideia é que o aluno aprende primeiro a cair para depois levantar. Após esses aprendizados, os judocas estarão aptos para aprender os próximos passos.
Outro importante ensinamento é que no Judô não existem inimigos, mas adversários, independentemente de quem ganhe o combate. Antes e depois do Handori (luta), os alunos se cumprimentam, em forma de agradecimento por ter realizado uma luta com seu companheiro de treino.
Os alunos também aprendem algumas pronúncias da língua japonesa, importantes para se comunicar durante as aulas. O professor de judô, por exemplo, deve ser chamado de Sensei.
Essa noção de respeito é a principal característica que leva os pais a colocar os filhos no Judô. Eles aprendem a respeitar tanto o mestre como o adversário, e essa obediência pode levar a criança a ser mais respeitosa em casa e em outros lugares.

Na UNESCO

melhor esporte de formação inicial para crianças e jovens de 4 a 21 anos, permitindo uma educação física integral, e promovendo um desenvolvimento fundamental, tanto psicomotor como de relacionamento com as outras pessoas, dentro e fora da comunidade do esporte.

O Judô no Clube Paineiras

O Clube Paineiras é uma referência no ensino do Judô no Brasil, não só no ensino básico das categorias de base como em competições de atletas de alto rendimento. Desde 2010 o Judô do Clube Paineiras do Morumby passou a ter um setor de competições, sendo uma das modalidades mais praticadas no formativo, com mais de 300 alunos matriculados.
Como dito anteriormente, o corpo técnico é altamente capacitado e reverenciado, onde já passaram nomes como Ikuo Onodera, Robertinho Machusso, Alexandre Lee (representante do Brasil em 2 jogos Olímpicos) e Carlos Onorato (medalhista de prata na categoria peso-médio nos Jogos OIímpicos de Sidney, na Austrália).
A equipe competitiva de Judô do clube tem mais de 70 judocas das classes sub 9, sub 11, sub 13, sub 15, sub 18, sub 21, sênior e máster, detentora de diversos títulos estaduais, nacionais e internacionais.
O Clube Paineiras respeita e entende o papel determinante do Judô na formação de bons cidadãos, focando nos atletas de alto rendimento, mas nunca abrindo mão do Judô social e formativo, criando um ambiente de qualidade, pautado nos fundamentos técnicos e filosóficos da modalidade.
Artigos relacionados