Detlof von Oertzen - O fundador do Clube Paineiras do Morumby

O fundador do Clube Paineiras do Morumby, Detlof von Oertzen, nasceu em Berlim, capital da  Alemanha, em 1930. Veio para o Brasil em 1936, quando desembarcou na cidade de São Paulo, com apenas 6 anos. Detlof von Oertzen chegou com a família, que veio motivada pelo pai, um comandante renomado da força aérea alemã. Ele foi contratado para ser um dos pilotos pioneiros da recém-fundada empresa estatal Viação Aérea de São  Paulo, a extinta VASP.

Como Von Oertzen fez história no Brasil

Por ter uma atuação destacada na força aérea alemã, o pai de Detlof von Oertzen precisou retornar à Alemanha, por conta da Segunda Guerra Mundial. Mas, o fundador do Clube Paineiras do Morumby, permaneceu no Brasil, onde criou raízes, casando-se com Yara Von Oertzen, com quem teve três filhos, Roberto, Mônica e Ira. Já o pai de Detolf não retornou ao Brasil, mesmo com o fim da guerra,  pois a legislação brasileira não permitia mais que estrangeiros pudessem trabalhar em empresas estatais.  

No País, Detlof von Oertzen formou-se corretor de imóveis e trabalhou na então conhecida Sociedade Financeira Barros-Handley Ltda, onde se tornou um profissional de referência na cidade de São Paulo. A profissão foi fundamental para a fundação do Clube Paineiras do Morumby. Isto porque foi trabalhando como corretor que Detlof von Oertzen encontrou a área perfeita para erguer o clube.

Anos depois, o fundador do Clube Paineiras do Morumby foi convidado para trabalhar na Mercedes-Benz, onde seguiu carreira até o final dos anos 80, empresa pela qual realizou muitas visitas à sua terra natal, a Alemanha, onde fica a sede mundial da companhia. 

Detlof von Oertzen morreu em 2014. Durante a vida aproveitou o clube por muito tempo. Jogou tênis até os 79 anos. Gostava de nadar, praticar polo aquático e andar a cavalo.

Linha do tempo da vida de Detlof von Oertzen

1930 – Nasceu em Berlim na Alemanha

1936 – Veio para o Brasil com a família 

Linha do Tempo da Fundação do Paineiras 

1960 – Fundação do Clube Paineiras do Morumby, no dia 9 de agosto

1964 – Detlof já é presidente do clube e realiza a entrega parcial de 17mil m² de área construída do clube

1967 – Detlof inaugura piscinas e vestiários

1977 – Inauguração do ginásio

1980 – Detlof começa a trabalhar na Mercedes Benz

1980 – Detlof inaugura um novo ginásio 

1983 – Lançada a pedra fundamental que marcou o início das obras do Conjunto Poliesportivo do Vale e Inauguração da Plataforma Infantil

1984 – Entrega da primeira etapa da obra do conjunto poliesportivo

1985 – Inauguração do Campo Gramado

1986 – Detlof incia obras da piscina olímpica e conclusão da primeira quadra coberta do Conjunto Poliesportivo

1989 – Inauguração da piscina olímpica

1990 – Cobertura das quadras de tênis do conjunto poliesportivo

1994 – Cobertura da piscina olímpica aquecida

1996 – Inauguração do campo de grama sintética e conclusão da cobertura do conjunto poliesportivo

2000 – Construção das quadras 13 e 14 de tênis fast e reforma das quadras de tênis

 

Como Von Oertzen encontrou o terreno do Paineiras

Com visão de futuro, Detlof von Oertzen, foi um dos pioneiros da transformação do bairro, ao fundar o Clube Paineiras do Morumby. Na década de 60, o local praticamente não existia, era desabitado, com acesso complicado e ruas de terra. Apesar disso, o bairro, ainda inexistente, era promissor. Na mesma época estava surgindo o Hospital Israelita AIbert Einstein, além da construção das faculdades Matarazzo, edificação que, mais  tarde, passou a abrigar o Palácio dos Bandeirantes. Mas, o que realmente inspirou Detlof von Oertzen a fundar o Clube Paineiras do Morumby foi a incrível vista de um terreno que encontrou.

Era junho de 1960 quando Detlof von Oertzen foi incumbido de avaliar uma área de quase 80 mil metros quadrados, que estava à venda no local. O terreno ficava num caminho de terra, uma área cercada por arame farpado, um local de difícil acesso, praticamente deserto, formando um vale. O terreno era conhecido como Fazenda Morumby, e era uma propriedade da família Penteado.

A área contava com uma elevação, que proporcionava uma vista de quase 360 graus. Do alto da plataforma, tinha-se uma vista completa de toda a cidade. Detlof von Oertzen encontrou um horizonte maravilhoso, com vista panorâmica, com a Avenida Paulista a frente; a represa de Guarapiranga à direita e, à esquerda, o Pico do Jaraguá. Neste momento, Detlof von Oertzen decidiu que aquele era um lugar perfeito para construir um clube.

Como Detlof von Oertzen fundou o Paineiras do Morumby

Para transformar a área em um clube, Detlof von Oertzen convocou o amigo arquiteto Carlos Millan, que tinha acabado de vencer um concurso, por ter projetado a sede do Jockey Clube. Millan aceitou o convite e juntos foram avaliar o espaço para a construção do clube. A área foi aprovada pelo arquiteto, que ficou encantado com o local. Detlof von Oertzen e Carlos Milian assinaram um contrato de risco, em que Milan só receberia seus honorários, se a ideia se concretizasse.

 

Isto porque Detlof von Oertzen não tinha condições de comprar o terreno, que valia 44 milhões de cruzeiros, o que equivale a aproximadamente 250 mil dólares na época.

Rectangle 1

Visionário, Detlof von Oertzen garantiu uma opção de compra com a proprietária da área, Olympia de Almeida Prado Penteado, além de negociar dois meses de prazo para levantar o dinheiro.

Por meio do pré-projeto de Carlos Millan, com um desenho revolucionário, e uma forte divulgação para todos os conhecidos, foram vendidos 500 títulos de sócios fundadores, em condições especiais para captação dos recursos necessários para iniciar as obras de construção do Clube Paineiras do Morumby.

Clube Paineiras do Morumby, seleto para quem gosta de esportes

Outra importante motivação para Detlof von Oertzen fundar um novo clube foi a de criar um ambiente exclusivo. Isto porque, na época, com 30 anos de idade, ele se reunia quase diariamente, na hora de almoço, com seus amigos no Clube Pinheiros, do qual era sócio. Entretanto, essa reunião de amigos para prática de esportes, como polo aquático, só era possível durante a semana. Afinal,  aos sábados e domingos, uma verdadeira multidão se comprimia dentro da piscina do clube, inviabilizando qualquer jogo.

 

Este foi outro fator que impulsionou as adesões ao novo clube, pois Detlof von Oertzen levou a possibilidade de poder usar o clube aos fins de semana, para os amigos, inclusive os do polo aquático. Inicialmente a maioria a considerou uma loucura. Mas, pouco a pouco, o entusiasmo de Detlof contagiou o pessoal. 

 

Portanto, o grande diferencial do clube seria a limitação e seleção rígida do quadro associativo. 



A fundação do Clube Paineiras do Morumby

No dia 9 de agosto de 1960, às 10h30, numa assembleia geral na Rua Barão de Itapetininga, 224 – sede da Sociedade Financeira Barros Handley Ltda., corretora onde trabalhava Detlof von Oertzen, o clube foi fundado.  

 

A primeira diretoria foi eleita com Detlof von Oertzen como o primeiro presidente.

 

O número máximo de títulos patrimoniais previsto em estatuto era de 5.500 títulos, destinados a cobrir os seguintes investimentos:

 

  • 500 títulos para a compra do terreno
  • 500 títulos para execução da terraplanagem
  • 2500 títulos para construção do conjunto esportivo
  • 2000 títulos para construção do ginásio e da sede social.

Construção do Clube Paineiras do Morumby

Após a fundação e eleição de diretoria e aprovação de estatuto e todos os registros necessários, Detlof von Oertzen deu início à construção do clube, que começou com piscinas, vestiários e, posteriormente as quadras de tênis, tudo em ritmo acelerado, seguindo um rígido cronograma de obras.

 

A construção do Clube Paineiras do Morumby foi uma obra pioneira em São Paulo, pois demandou a movimentação de cerca de 400 mil m³ de terra. O conjunto aquático em concreto armado, parcialmente suspenso acima dos vestiários, totalizava uma área de construção de 17 mil m², exigindo a perfuração de inúmeros poços artesianos para enchimento das piscinas. 

Por volta de 1963, mesmo antes de inaugurado oficialmente, surgiu a oportunidade da compra de mais 20 mil m² na área frontal do clube. A aquisição dessa quadra permitiu ampliar o projeto inicial, com a inclusão de uma segunda quadra de tênis número, das quadras de basquete, voleibol e futebol de salão, além de uma área que foi usada originalmente como estacionamento. 

O Clube Paineiras do Morumby

O Clube Paineiras, atualmente, ocupa uma área de quase 120 mil metros quadrados, com uma grande reserva de vegetação nativa. Permanece com a quantidade de associados prevista no estatuto original.  Conta com um um complexo esportivo com seis piscinas aquecidas, três ginásios poliesportivos, 13 quadras de tênis piso saibro, duas quadras de tênis piso rápido, cinco quadras de squash, 1 quadra de peteca, 6 quadras de areia, campo de society, campo oficial de futebol, 2 pistas de atletismo e um complexo fitness completo. 

Artigos relacionados