Quem mostra o caminho

Compartilhe:

Para quem não sabe, o Paineiras é uma empresa que proporciona para jovens de até 17 anos a oportunidade de iniciarem sua carreira profissional, por meio da experiência do seu programa Jovem Aprendiz. É uma maneira que o clube contribui com a sociedade, incluindo e capacitando crianças e adolescentes. No seu quadro de colaboradores, a instituição conta com alguém que faz o papel de orientá-los e ensiná-los no início dessa nova fase há quase uma década: Jorge Lima da Silva.

Prata da Casa 1 e1667301389191

Há mais de 9 anos, Jorge desempenha a função de monitor dos jovens aprendizes do clube, cargo que ocupa desde o início de sua passagem no Paineiras. Para ele, trata-se de um desafio grande conseguir ensinar tudo o que pode aos mais novos em 2 anos, período de duração do programa. “Muitas vezes, os jovens aprendizes entram aqui muito novos, com inocência de criança mesmo. Tentamos utilizar esses dois anos da maneira mais produtiva possível para eles. Trata-se de um trabalho contínuo de ciclos que começam e terminam muito rápido”, pontua.

O Prata da Casa da edição de outubro da revista Paineiras enfatiza a importância do projeto para esses jovens. Ele explica que o aprendizado adquirido nessa experiência pode fazer toda a diferença na vida dessas pessoas. “Aqui, eles aprendem a ter disciplina, respeito, lidar com diferentes tipos de pessoas e ainda têm contato direto com profissionais de alto nível, o que contribui para sua formação profissional e pessoal”, detalha.

No entanto, não há nada mais satisfatório para Jorge quando ele vê alguém que passou pelo programa de jovens aprendizes crescer na carreira. Muitos de seus “pupilos” se desenvolveram muito bem como profissionais, inclusive dentro do próprio clube. “Eu fico muito orgulhoso pelos meninos e também em saber que ali teve uma participação minha, de alguma forma. Tem muitos que trabalham aqui em diversos setores e isso é bem gratificante”, confessa.

O baiano de Entre Rios celebra a oportunidade que encontrou no Paineiras. Segundo ele mesmo, acabou chegando por acaso para a função de monitor dos menores aprendizes. “Antes de chegar ao clube, trabalhava na área de supervisão de segurança patrimonial. Um tempo depois, eu estava buscando trabalho e surgiu uma vaga de monitor no Paineiras, mas não sabia qual tipo de monitoramento. Acabou sendo uma surpresa muito boa, pois isso me aproximou dos esportes, algo em que gosto muito de trabalhar”, relembra.

Por fim, Jorge revela que só tem a agradecer ao Paineiras pela oportunidade e pela parceria nesses quase 10 anos e que, em seu trabalho está sempre na busca de conseguir algo melhor para aqueles que o colaborador tem a responsabilidade de mostrar o melhor caminho.

Artigos relacionados