Não alimente os saguis!

Compartilhe:

Todo paineirense já se deparou com os simpáticos e brincalhões saguis pelo clube. Esses visitantes ilustres já fazem parte do cotidiano paineirense, mas há algo que demanda muita atenção sobre esses primatas: a importância de não alimentá-los.

Os saguis já foram até sugeridos para assumirem o posto de mascotes oficiais do Paineiras, mas ainda assim, são animais selvagens e precisam ser tratados como tal. É fundamental que o associado entenda que não é recomendável dar comida para eles, pois esse contato pode ser muito prejudicial, em vários sentidos, para ambas as partes.

 

Perigos para os saguis

O primeiro fato a se ressaltar é o risco de os humanos transmitirem doenças para os saguis, dentre elas a Covid-19 e o herpesvírus. “No caso do segundo, a transmissão pode ocorrer por um alimento mordido e deixando em um cesto de lixo. A infecção do animal por esse vírus vindo das pessoas é mortal, pois gera lesões e convulsões fatais no primata. Além disso, pode acontecer a infecção por tuberculose de ambas as partes”, alerta Moira Ansolch, Grupo de Trabalho em Saúde da Sociedade Brasileira de Primatologia.

A veterinária observa também que o fornecimento de alimentos para os animais pode tirar o costume deles em procurar sustento na natureza, como de fato deve ser. “Além disso, a aproximação dos saguis traz esses animais para perto das áreas frequentadas pelas pessoas aumenta o risco de eles sofrerem acidentes com quedas, eletrocussões e conflitos com animais domésticos”, enfatiza.

Por fim, há outro fator que pode ser prejudicial aos animais: alimentos industrializados podem fazer mal aos saguis, e até frutas podem ser problemáticas, já que podem acabar levando a uma mudança na alimentação natural. E o excesso de comida pode desequilíbrio na população e no desenvolvimento natural da espécie.

 

Bonitinho, mas perigosos

Apesar da aparência dócil e a habilidade de conviver com pessoas, os saguis também representam riscos às pessoas. Ao alimentar os saguis, os humanos estão expostos a diversos perigos. Como não se tratam de animais domesticados, seu comportamento é mais imprevisível na comparação com os dos pets, por exemplo.

“O animal pode se tornar agressivo, pois está na busca por alimentos e pode acabar mordendo alguém. E aí entra o risco da transmissão da doença do primata para o humano, entre elas, a raiva. No nordeste do país, por exemplo, os casos de raiva em pessoas estão muito ligados ao contato dos saguis com humanos. Trata-se de uma doença grave que pode se tornar mortal”, explica Ansolch.

O que também pode se tornar um incômodo para as pessoas e, inclusive já têm ocorrido nas dependências do clube, é o furto de objetos pessoais e alimentos por parte dos saguis. Como se sentem “em casa”, eles acabam, por vezes, pegando o que não devem.

Para uma boa convivência, o Departamento de Meio Ambiente do Paineiras recomenda fortemente que os associados não alimentem os saguis. Isso é imprescindível para o bem-estar e, principalmente, para a saúde de todos.